Rádio Web

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Análise dos Desfiles de Guaratinguetá em 2014 pelo Professor Marcelo Sampaio


Já fui à cidade de Guaratinguetá em outras oportunidades, sempre para ministrar palestras sobre samba e Carnaval que são objetos das minhas constantes pesquisas na área da Cultura Popular. Este ano, convidado pelo Beto Couto, atuei como comentarista dos desfiles de lá na equipe da Rádio Piratininga.
Dia desses o Paulo Santos me convidou para escrever este artigo aqui no blog que ele criou. Sugeriu que fosse a respeito das minhas impressões em relação aos desfiles das seis escolas. Portanto seguem abaixo resumos do que observei de mais relevante em cada uma das apresentações das referidas agremiações carnavalescas:


Mocidade Alegre do Pedregulho

Com quase uma hora de atraso, em relação ao horário divulgado pela OESG, a Mocidade Alegre do Pedregulho entrou na avenida para mostrar o enredo “Com bailar das danças o frevo me fascina”. O ponto alto do seu desfile foi a comissão de frente, que fez uma boa apresentação.
Porém desde o início a sua bateria oscilou bastante, não conseguindo manter o andamento proposto pelo mestre, e sua harmonia apresentou muitas falhas. Para comprometer de vez a sua apresentação, o abre-alas quebrou um pouco depois do recuo da bateria fazendo com que o quesito evolução fosse totalmente prejudicado.


Unidos da Tamandaré

A Unidos da Tamandaré entrou na avenida para apresentar o enredo “O reino encantado dos cangaceiros da paz” com muita vibração, componentes cantando o samba inteiro e diretores de harmonia fazendo um excelente trabalho que contou, inclusive, com o auxílio de rádios-comunicadores.
Mostrou ousadia ao desfilar com uma comissão de frente composta por belas e talentosas crianças. Isso sem falar numa sensacional bateria, comandada pelo genial mestre Zé Carlos, na qual não faltaram várias bossas, afinadas convenções de tamborins, interessantes coreografias e até uma sanfona.


Bonecos Cobiçados

“São Luiz do Paraitinga, rio de águas claras: Um banho de alegria e cultura no nosso Carnaval” foi o enredo escolhido pela Bonecos Cobiçados para homenagear a cidade de São Luiz do Paraitinga, que por conta da sua tradição em marchinhas carnavalescas já foi matéria do New York Times, jornal dos Estados Unidos.
Apresentou a comissão de frente mais dançante da noite, uma bateria que realizou com competência diversas “paradinhas” e carros alegóricos inseridos à proposta enredística. Só ficou devendo um desfile mais organizado, talvez porque não tenha tido um número maior de diretores de harmonia.


Embaixada do Morro

Com o enredo “Pelos poderes do samba” a Embaixada do Morro entrou na avenida para festejar os seus 70 anos de existência. Foi uma maravilhosa idéia misturar a história do samba, passando pela importância dos negros no surgimento dele, com a história da própria agremiação, a mais antiga de Guaratinguetá.
O seu desfile foi arrebatador iniciado com uma bela comissão de frente e embalado por uma bateria de “pegada” fortíssima. Após seu último carro alegórico, entrou na avenida atrás do cordão de isolamento dos seguranças da pista um grande número de torcedores e uma imensa bandeira da escola.


Acadêmicos do Campo do Galvão

A Acadêmicos do Campo do Galvão, escola de samba que com 15 títulos é a maior campeã da cidade, decidiu comemorar as suas quatro décadas com o enredo “40 anos de pura paixão... Acadêmicos, um marco na história”. Entrou na avenida com a melhor comissão de frente dos desfiles deste ano.
Também foi um grande destaque a bateria, que conseguiu manter o ritmo do início ao fim. No entanto apresentou problemas no abre-alas, cujo nome da agremiação em neon estava apagado, fantasias de inúmeras alas incompletas e carros alegóricos com mau-acabamento.


Beira Rio da Nova Guará

“Aondê Namandu – Criadora do Universo e dos filhos da sabedoria, eterna chama do amor” foi o enredo escolhido e infelizmente não bem desenvolvido na avenida pela Beira Rio da Nova Guará. A comissão de frente, por exemplo, só passou na pista sem mostrar sequer emoção.
Além disso, os demais componentes da escola estavam desanimados e não cantavam o samba, que com a ausência do violão ficaram prejudicados tanto o seu canto como a sua linha melódica. Também ocorreram vários “buracos” durante o seu desfile, que apresentou um roteiro muito confuso.



Marcelo Sampaio
Professor de História, Pesquisador de Cultura Popular e Agitador Cultural
Site: www.centroculturalms.com.br

terça-feira, 26 de agosto de 2014

1° Prêmio Nacional Edison Carneiro




OBS: O Blog Carnaval de Guaratinguetá está inscrito na Categoria 5 (Melhor Acervo Histórico de Samba e Carnaval) e aguarda a triagem da Comissão Julgadora.

Estão abertas até o dia 31 de agosto as inscrições ao prêmio Edison Carneiro, voltado para pesquisadores, grupos e instituições que desenvolvam projetos no segmento de samba e carnaval.
A iniciativa é do Portal do Carnaval, projeto da UNIRIO coordenado pelo professor Jair Martins de Miranda, em parceria com o projeto Samba Global, do Centro de Referência e Informação em Artes, Entretenimento e Cultura Brasileira (Criar).
Há cinco categorias disponíveis: produção acadêmica, produção literária não acadêmica, produção jornalística, inovação e empreendedorismo, e valorização e promoção cultural. Cada uma delas se divide em diversas subcategorias. Os trabalhos irão a júri popular, e os mais votados seguirão para uma comissão julgadora composta por 15 integrantes. Os vencedores receberão prêmios em dinheiro no valor de R$5 mil, além da medalha Edison Carneiro.
Interessados devem acessar o site do Portal do Carnaval e fazer a inscrição até o dia 5 de agosto.
Sobre Edison Carneiro
Nascido em Salvador (BA), o escritor e pesquisador Edison Carneiro já se dedicava a temas afro-brasileiros na década de 1930, estudando a influência do elemento africano no desenvolvimento do Brasil.
Em dezembro de 1962 participou do I Congresso Nacional do Samba, atuando como relator do documento que ficou conhecido como Carta do Samba, no qual propunha medidas para preservar o ritmo e suas características tradicionais. Posteriormente, a data de assinatura da Carta – 2 de dezembro – foi instituída como o Dia Nacional do Samba.
No mundo do carnaval, Carneiro foi grande benemérito da Portela e sócio da Mangueira e do Salgueiro.


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Lançamento do Enredo 2015 da Escola de Samba Bonecos Cobiçados


Na tarde/noite de ontem, dia 24 de agosto, a Escola de Samba Bonecos Cobiçados apresentou o seu Enredo para o Carnaval 2015 em um evento com muito samba de raiz e churrasco...


PROPOSTA DE CARNAVAL

A Comissão de Carnaval da ESCOLA DE SAMBA “BONECOS COBIÇADOS” vem, por intermédio dessa proposta, convidar a sociedade a embarcar numa viagem pelo Reino da Natureza e apresenta oficialmente o seu enredo para o Carnaval 2015, intitulado:

“SUSTENTABILIDADE: 
O DESABROCHAR DA VIDA PARA O FUTURO 
DA HUMANIDADE !”

Nosso objetivo é disseminar, através de fantasias e alegorias, a necessidade imediata de um processo de reeducação ambiental, fazendo com que a sociedade civil como um todo, aliada às autoridades governamentais e iniciativa privada, implantem atitudes concretas que visem resgatar os biomas, essenciais para a sustentabilidade das futuras gerações.

Oportunamente, o personagem Tistu, protagonista do renomado livro infanto-juvenil “O Menino do Dedo Verde”, escrito pelo pensador francês Maurice Druon, em 1957, é emblemático, pelo seu poder mágico, pois em tudo o que toca, faz nascer plantas e flores. Por essa razão, Tistu é a figura ideal para conduzir os carnavalescos durante o Desfile, nessa viagem pelo Reino da Natureza, com seu barquinho feito de jornal reciclado. Depois de percorrer diferentes lugares e ecossistemas do planeta, ele desembarca no Vale do Paraíba, mais precisamente na Sede da Escola de Samba “Bonecos Cobiçados”, de onde sai a inspiração para a reeducação ambiental. A figura do menino é uma metáfora do futuro, pois é para a criança de hoje, o adulto de amanhã, que devemos gerar saberes e garantir uma vivência saudável.

“Bonecos Cobiçados” será uma Escola Sustentável, inspirando ações de preservação da biodiversidade. Entendemos que no local onde vivemos e fazemos samba é que devemos exercer nossa cidadania ambiental. Afinal, “a cabeça pensa, onde os pés pisam (Frei Beto). Assim como Tistu, as cores verde e rosa da agremiação também são o elã para o reflorestamento do planeta, garantindo às pessoas um futuro rosa, analogia à busca pela qualidade de vida.

Sob a forma de “Teatro de Rua”, em linguagem de fácil assimilação e visualização, Tistu nos mostrará que devemos praticar o nosso compromisso social, buscando atingir cada cidadão que tomar ciência desse tema e, principalmente, quem acompanhar ao Desfile, quer seja presencialmente, quer seja pelos meios de comunicação. E, se cada um de nós, fizer unicamente a sua parte, e esse ideal de conscientização ultrapassar fronteiras paulatinamente, a sobrevida em harmonia com o meio-ambiente estará garantida. E o patrimônio maior do Planeta Terra, a biodiversidade, preservada !

“Só quando a última árvore for derrubada, o último peixe for morto
 e o último rio for poluído, é que o homem perceberá que
não pode comer dinheiro” 
PROVÉRBIO INDÍGENA

COMISSÃO DE CARNAVAL:
TIAGO DOMINGOS
JÚNIOR SCHALL
FELÍCIO MURADE
MATEUS DOMINGOS
SÁVIO REIS
RÓBSON GOMES
JOEL DE BRITO

OBSERVAÇÃO:

A SINOPSE COMPLETA E O CRONOGRAMA DE DESFILE PODEM SER SOLICITADAS JUNTO A COMISSÃO DE CARNAVAL...

E-mail: tiago_antunes@bol.com.br
Celular: (12) 99157-1120
Facebook: https://www.facebook.com/tiago.domingos.98